Make your own free website on Tripod.com
                                                  LANDELL DE MOURA - O Parapsicólogo -

Luiz da Silva Netto

Normalmente quando se fala este nome ainda os poucos brasileiros que o conhecem o ligam aos inventos pioneiros de seus aparelhos utilizados em Telecomunicações. No entanto é preciso que os leitores tenham um conhecimento mais perfeito da complexa e altíssima personalidade desse "incrível" Padre Landell de Moura, como investigador infatigável dos fenômenos da vida e da morte, como sacerdote sempre atento à conduta de seu rebanho, e como pensador continuamente de espírito voltado para os mistérios da alma humana e quem o estuda certamente sentirá que ele foi um homem onde a inspiração divina fez morada constante.

Em correspondência que me enviou um de seus ilustres biógrafos o Sr. Otto Albuquerque, que é também um pesquisador e com interesses no desenvolvimento de equipamentos eletrônicos aplicados a medicina, escreveu o seguinte a respeito das atividades desenvolvidas por Landell de Moura nessa área:

"Do mesmo autor, Hamilton Almeida, nas páginas 66,66 e 146, há citações de matéria jornalística sobre Landell de Moura, publicada no jornal "Correio do Povo". Referem-se à Segunda parte da obra do cientista sobre a Bionergia Eletromagnética . No seu "Laboratório Antropológico Experimental" , desde 1916, em Porto Alegre, ao lado da Igreja do Rosário, Landell de Moura deu conhecimento, publicamente, dos seus trabalhos científicos sobre o Biomagnetismo, a bioeletricidade, e os biofotons, num trabalho pioneiro no país.

Revelando conhecimentos profundos e tecnológicos sobre a Neurofisiologia incipiente na época, Landell estudou e praticou os efeitos no Sistema Nervoso Central dos pulsos elétricos das celulas e suas repercussões no sistema motor, notadamente a pulsação magnética sobre o Sistema Nervoso Central pela hipnose e o toque biomagnético. Praticou e definiu os biofotons, pela irradiação de infravermelha no corpo, e os efeitos eletroluminescentes da AURA HUMANA.

Ao bobinar e manejar a Bobina de Ruhmkorff, Landell de Moura observou e experimentou os efeitos magnéticos do eletroimã como Magnetoterapia e na saída do secundário da Bobina de Ruhmkorff o biocentelhamento pela aproximação dos dedos dos eletrodos de alta frequência, levando-o aos estudos da coloração da AURA HUMANA para diagnóstico de doenças psicofísicas. O biomagnetismo levou-o à prática da hipnose. A sua bioenergia irradiante, presente na descrição pessoal daqueles que o conheceram, permitiu-lhe o controle de intensidade do seu biomagnetismo no tratamento da histeria e nos efeitos da prática espírita da época sobre Sistema Nervoso Central. Isso ele destacava à imprensa da época no seu "Laboratório Antropológico Experimental".

Landell de Moura usava, igualmente, a sua energia biomagnética como EXORCISTA, prática aceita pela Igreja. Todavia destacava em suas experiências de Laboratório, o surgimento de um segundo corpo, emanado de animais mortos, como um fluxo energético. A vida humana e os efeitos bionergéticos, o seu controle no corpo humano, a existência, postmortem, de um "espírito" junto à Deus, num mundo invisivel, confirmam a existência permanente e atuante no ser humano de UM SEGUNDO CORPO ELETROMAGNÉTICO, para a ciência de hoje, uma Onda Magnética Inteligente, com freqüência própria".

Ernani Fornari um de seus biógrafos conta que em suas pesquisas encontrou manuscritos e documentos salvos das traças e dos ratos, um curioso caderno cujo título era " Caderno A", em que, sem preocupação de ordem cronológica, a não ser nas primeiras páginas (faltam nesse caderno as 16 primeiras folhas), ia ele anotando o resultado de seus estudos filosóficos, investigações científicas, observações, resumos de prédicas e até registro de despesas e rascunhos de cartas.
 
 

Constam desse caderno os seguintes capítulos, ora escritos a tinta, ora escritos à lápis, de decifração dificílima, em virtude da escrita nervosa, intrincada e, por vezes, sintética e abreviada do autor:

Sobre o elemento R O PERIANTO:

Sobre a influência da circulação em relação a certos estados da personalidade.

Sobre a mudança de personalidade - Sobre a fenômeno da reversibilidade sensorial.

Sobre a causa das perturbações da vida psíquica ou de relação.

Sobre a enfermidade de Estado ou a nevrose dos dirigentes.

Sobre as principais modalidades ou espécies de caráter.

Sobre os estados anormais ( extáticos).

Sobre a oração ordinária e extraordinária.

Sobre os músculos, em geral e em particular, e os nervos.

SOBRE A ANALOGIA EXISTENTE ENTRE A ELETRICIDADE E A ESTENECIDADE OU ELEMENTO R.

Sobre a indução estênica.

Sobre os efeitos da estenecidade à distancia.

Sobre a capacidade de nossos sentidos e pequenez dos nossos conhecimentos em relação ao mundo exterior.

Sobre a matéria.

Sobre os átomos.

Sobre os íons.

Sobre os átomos de outrora.

Sobre a percepção intelectual ou a idéia e suas conseqüências na vida do espírito ou da moral cristã.

Sobre o elemento universal.

Sobre os corpos sólidos e liquidos.

Sobre a natureza do ETER.

Sobre o éter, o átomo suporte e a fricção primária dos corpos.

Sobre a origem da Terra e dos demais sistemas planetários.

SOBRE OS SENTIDOS DA ALMA.

Sobre as extremidades opostas do mundo Nas regiões ultra-etéreas.

Sobre o dominio da vontade sobre os sentidos.

Sobre os estados perextáticos.

Sobre a masturbação das crianças, nos adolescentes e nos adultos.

Sobre o ideal e ficção.

Sobre o Belo e o Bom.

Sobre a natureza dos corpos.

Sobre as duas inclinações ou poderes existentes no homem O falso suposto em que vivemos.

Sobre os movimentos psíquicos em nossa alma.

Sobre a graça.

SOBRE AUNIDADE DAS FORÇAS FÍSICAS E HARMONIA DO UNIVERSO. A gênese das causas.

E muitos outros mais....

Pois bem, vou transcrever apenas alguns assuntos que diz respeito as questões de preocupação com alguns fenômenos, que hoje teriam sido classificados como fenômenos estudados pela Parapsicologia.

Antes porém de iniciarmos algumas transcrições chamamos a atenção dos leitores que alguns capítulos foram escritos no princípio deste século, motivo pelo qual à alguns parecerão superadas algumas afirmações nelas expressas, mas que ainda continuam sendo objeto de pesquisa porque simplesmente mesmo nos tempos de hoje são ainda muitas as perguntas que temos e poucas são as respostas.

Sobre o elemento R:

Como o urânio, o hélio, o rádio e tantos outros corpos radioativos, o elemento R, também ele, se mostra dotado de certas propriedades que nos inclinam a admitir que ela residem no átomo dos corpos que o revelam, como propriedades que lhe são inerentes. Disse " dos corpos "porque penso que ele se encontra em todos os corpos, conquanto não se manifeste com igual intensidade as suas propriedades radioativas do elemento R.

Encontrei-o pela primeira vez no CORPO HUMANO, e por muito tempo prosseguindo as minhas pesquisas, com o fim de conhecer a sua natureza, tive um dia, a feliz idéia de verificar se os corpos magnéticos naturais ou artificiais permanentes possuíam ou não o elemento R, pela analogia com o expectro magnético que me ofereciam estas radiografias que eu obtivera, mediante o elemento R.

E tendo obtido de um eletromagnético permanente em forma de U e nas mesmas circunstâncias que obtivera o espectro do corpo humano, semelhante ao do eletromagnético, cheguei à conclusão que no corpo humano, como nos diamagnéticos, existia o elemento R., e que as suas propriedades residiam no átomo do elemento R. Daí cheguei a estas conclusões:

Primeira: Que, como já disse, todos os fenômenos que se observam nos corpos diamagnéticos, são devidos

ao elemento R.

Segunda: Que esse elemento R, tanto nos corpos inorgânicos como orgânicos, se transforma em energia

magnética, elétrica, calorífica, luminosa, ondulatória e radiante;

Terceira: Que se não há atração ou repulsão entre os corpos diamagnéticos é devido a esses corpos se

acharem em estado que impossibilita o fenômeno da coercibilidade. Os outros fenômenos,

porém da indução e de transformação de energia do elemento R em magnéticos, elétricos, etc.,

pode se dar, como se dão de fato.

PERIANTO:

1 Todo o corpo Humano está como que envolvido de um ELEMENTO DE FORMA VAPOROSA, mais ou menos densa, segundo a natureza ou o estado do indivíduo ou ambiente em que ele se acha. Esse elemento, quando adquire uma tensão capaz de vencer obstáculos que se opõe à sua expansão, escoa do corpo humano sob forma de descargas disruptivas ou silenciosas, tal qual como sucede com a eletricidade. E os fenômenos que nestas ocasiões se dão, têm muita analogia com os elétricos estáticos e dinâmicos, com relação aos outros corpos semelhantes.

2 Pelo que, cheguei à conclusão de que se trata de um fenômeno que constitui uma variedade de fenômenos produzidos pela eletricidade ou pela causa da eletricidade, do calor, da luz, etc..

3 - Em todo caso, para facilitar o estudo do elemento R, que existe no corpo humano, atribuo-o ao Perianto porque como seu nome está dizendo, ele é um efeito do elemento R, como a tensão elétrica é um efeito da eletricidade que se acumula em volta dos condutores.

4 Não posso atribui-lo à eletricidade existente no corpo humano, porque, como veremos em outros lugares, se de um lado oferece muita analogia com a eletricidade, por outro lado apresenta-se com certas e determinadas características que me obrigaram a distingui-lo, ou dar-lhe o nome de Perianto ao efeito e à causa do elemento R, isto é, da vida de relação entre o PSIQUISMO SUPERIOR E INFERIOR

5 O Perianto é por si INVISIVEL; mas, por intermédio de certas luzes pode tornar-se visível, e até mesmo se for FOTOGRAFADO, se usarmos ou intercalarmos entre o corpo, cujo perianto estudamos, e a luz especial, uma plancha ou papel apropriado.(*Obs.: Isto ficou conhecido muitos anos depois como efeito Kyrlian).

6- Um pequeno animal, preferivelmente de pêlo curto, posto nestas circunstâncias e dentro de um tubo apropriado, se mediante uma máquina pneumática a mercúrio for se fazendo pouco a pouco o vácuo, ver-se-á quando o animal permanecer quieto, em estado de agonia, que na plancha se desenhará sob FORMA VAPOROSA, a figura do animal. Ver-se á mais que, ao expirar o mesmo essa forma vaporosa elevar-se-a na plancha.

 

7 Poder-se-á ver também diretamente quando, mediante certas luzes, se puder conseguir o fenômeno da INTERFERÊNCIA DOS RAIOS. E há casos em que quando a condensação se torna bem densa, com certas e determinadas luzes, removendo o animal, no lugar em que ele se achava permanecerá por instantes, o seu perianto, formando um duo com ele, que, não raras vezes, em vez de se apresentar sob a forma branca vaporosa, se mostra compacto e colorido, com as cores naturais do animal, devido a uma vibração de um elemento mais sutil do que o ar.

8 - Do que acabamos de dizer, podemos tirar os seguintes corolários:

Primeiro: Que o perianto, em circunstâncias apropriadas pode ser fotografado, justificando seu nome, isto é:

Coisa que envolve o corpo humano sob uma capa ou zona vaporosa, mais ou menos densa.

Segundo: Que ele pode ser transportado da placa natural da retina para a de uma câmara fotográfica. E daí as seguintes conclusões:

  1. que no corpo humano existe um elemento que dá origem aos fenômenos do perianto e conseqüentes corolários;
  2. que pode ser fotografado direta ou indiretamente;
  3. que certas qualidades de luzes influem para que ele possa ser fotografado, como também pra qe se torne visível a olhos nús;
  4. que ele pode, à semelhança de um duo do indivíduo, representá-lo sob formas unicamente vaporosas, ou também com as cores naturais;
  5. que, se esse indivíduo estiver sob a ação do hipnotismo ou de qualquer outro estado anormal capaz de mudar-lhe a personalidade, o seu perianto, neste caso, apresentará as feições da personalidade que ele supõe ser no momento;
  6. que, devido ao perianto, não repugna que, em certo estados anormais, o indivíduo possa apresentar o seu duo sob formas vaporosas mais ou menos condensadas e mais ou menos duráveis, consciente ou inconscientemente, como geralmente sucede, junto a si ou distanciado;
  7. que, segundo o grau de condensação, poderá tornar-se palpável e resistente, simulando todos os fenômenos da vida psico-orgânica devido ao prolongamento dinânico, não sendo o que ele então apresenta senão um reflexo do corpo do indivíduo que o produziu, de forma que se o indivíduo falar ou mover qualquer parte do corpo enquanto o seu perianto age aparentemente, este último deixará de agir incontinente:
  8. Que tanto os bons como os maus anjos podem dele se utilizar para simular os fenômenos da vida de relação, mas que neste caso (à exceção de um milagre) é que se verifica o que acima dissemos: Quando o perianto sob a ação do bom ou do mau espírito age, se o corpo do indivíduo que o produziu age, ele deixará incontinente de agir, precisamente na forma que o indivíduo age;
  9. Que, provavelmente, o fenômeno da BILOCALIZAÇÃO, tem seu princípio na condensação do perianto, quando o fenômeno se opera naturalmente, muito embora por leis ainda não bem conhecidas. E muitos outros fenômenos como do hipnotismo, do magnetismo, do espiritismo, dos sonhos em ação, do sonambulismo.
SOBRE OS EFEITOS DA ESTENECIDADE À DISTÂNCIA

1 - Há muitos fenômenos que não encontrariam a sua explicação sem a existência desse elemento ainda não bem definido, a que dei o nome de estenicidade.

2 - É este elemento que, em certas circunstâncias, produz no espaço ambiente, movimentos, perturbações idênticas às que lhe imprimem os fenômenos maximé psíquicos, devido às grandes ou intensas modificações da alma humana, modificações essas que se propagam ondulatóriamente, através do mesmo elemento etéreo em que as ondulações elétricas ou magnéticas se propagam, as quais, encontrando um outro organismo em perfeito sincronismo com o que produziu tais ondulações por um fenômeno de reversibilidade, se transformam nos mesmos fenômenos que ocasionaram tais modificações no elemento estênico. Tal qual como sucede com uma máquina de projeção, a qual projeta na tela aquelas mesmas figuras que provocaram, através do raio luminoso, as vibrações correspondentes à figura que as produziu.

3 Os fenômenos de telepatia, de visão à distância, como também o da transmissão do pensamento, isto é: dos movimentos correspondentes cerebrais sobre a ação do pensamento, têm neste elemento esta origem.

Por estas considerações que aqui transcrevemos que é apenas uma amostra dos muitos interesses intelectuais de Landell de Moura, vê-se que uma de suas mais fortes preocupações era com o saber à respeito do ser humano e de todo o mistério da vida e da morte e da busca da lei que regem determinados fenômenos transcendentais. Hoje além de outros títulos ele teria também o de PARAPSICÓLOGO.

Quem quiser conhecer mais sobre Landell de Moura, pode ler o livro "O incrível Padre Roberto Landell de Moura" Biblioteca do Exército Editora Palácio Duque de Caxias Ala Marcilio Dias 3. Andar Praça Duque de Caxias, 25 Centro CEP 20.221 260 - Rio de Janeiro RJ.

                                                     Retornar à página principal