Make your own free website on Tripod.com
A Estada de Landell em Cuba - para tratamento de saúde
Luiz Netto (12/01/2001)



  Quando ROBERTO LANDELL DE MOURA em 1901 partiu com destino aos Estados Unidos com o intuito de patentear seus aparelhos imaginava que sua estada no país do norte seria aproximadamente de uns seis meses. No entanto os técnicos da U.S.Patent Office em Washington exigiram que fosse construídos os protótipos de seus aparelhos e que fosse demonstrado que efetivamente funcionavam segundo as descrições contidas nos memoriais descritivos. LANDELL não levou os aparelhos que já tinha construido pois simplesmente segundo os registros dos livros eles teriam sido destruidos por uma leva de incultos fanáticos que o viam como alguém que tinha parte com o demonio...Isso acabou por tomar muito mais tempo,  pois sabemos que as patentes só foram conseguidas  em 1904.

BOB LOCHTE, (Department of Journalism and Mass Communications) professor universitário na Murray State University no Kentucky, que pesquisa os primeiros inventores interessados na transmissão sem fio, interessado em LANDELL DE MOURA,  e que teve acesso a todos os papeis envolvidos na obtenção das patentes de LANDELL, no U.S.Patent Office, em Washington, fala sobre a questão da demora dos 4 anos para a obtenção das patentes. Ele diz que à aquela época tomaria a um novo inventor como LANDELL que não estava familiarizado com a lei de patentes  norte americana, o tempo de um  ano.

Ao redor de 1900 os examinadores de patentes estavam familiarizados com eletrônica básica, telégrafo e telefone, e circuitos de sem fio,  por que já tinham visto outros pedidos de patentes. Assim os examinadores questionaram detalhadamente LANDELL para que demonstrasse como seu sistema funcionava e mais do que isso demonstrasse que era ÚNICO, ou seja que não existia outro igual, que era diferente dos que possivelmente existisse.Tudo o que ele tinha  que fazer era demonstrar que seus aparelhos diferiam dos de TESLA, MARCONI... entre outros nomes importantes.

Ele não pôde responder imediatamente a esse questionamento porque como dissemos já não dispunha mais dos aparelhos construidos. Outro detalhe interessante dessa história é que à epoca muitos inventores se lançaram ao trabalho de desenvolver outros sitemas com o mesmo propósito em todo o mundo, assim o  U.S.Patent Office foi exigente ao máximo.

Ainda assim LANDELL persistiu por que sabia que  sua idéia era ÚNICA. Diz também o prof. Lochte que inicialmente ele perdeu dois anos por problemas de saúde. Ele contraiu pneumonia e bronquite e seu médico recomendou a ir para Cuba para tratamento. Com relação aos transmites dos papéis para a obtenção das patentes, conta que o primeiro advogado que foi contratado não teve um bom desempenho, pois sua primeira tentativa não foi aceita pelo Departamento de Patentes. Assim LANDELL contratou um segundo advogado, que aconselhou-o a dividir sua proposta em duas outras e mais tarde em tres,  com o objetivo de conseguir pelo menos uma. Sabemos que conseguiu as tres.

Há um ponto interessante sobre o arquivo do "Wireless Telegraph" patente (#775.846). O examinador de patente inicialmente negou seu pedido porque tres de suas reivindicações segundo sua  interpretação estavam em conflito com a patente de MARCONI - U.S.Pantent (#586.193).

Neste ponto em Março de 1902, LANDELL novamente contratou outro advogado e este recomendou  que reformulasse seu pedido com outra redação afim de que fosse eliminado os conflitos com a patente de MARCONI. Se LANDELL ainda tivesse seu original Transmissor e Receptor de Ondas, tivesse suas notas, ou declaração juramentada de testemunhas ele poderia ter tentado provar sua prioridade sobre a patente de MARCONI sobre a lei de patentes americana.

Isto teria tornado sua patente muito mais valiosa. Como LANDELL não pôde seguir este caminho, pelas razões já apontadas, os acontecimentos tiveram outro curso. E pensar que ele já tinha isto desde 1893...

Faz algum tempo fui procurado por um jovem que está fazendo uma pesquisa detalhada sobre inventores nacionais injustiçados - Rodrigo Moura - do Rio de Janeiro e que está sendo orientado pelo professor Joao B.G.Canalle da UERJ, com o propósito de  escrever um livro sobre este assunto. Para que ele pudesse se inteirar desta particularidade da estada de Landell em Cuba, para tratamento de saúde, por ocasião em que estava pleiteando suas patentes, dei-lhe o endereço eletrônico do Prof. Bob Lochte, com o qual trocamos muitos e-mails por ocasião da pesquisa deste sobre Landell.
 

Dr. Bob Lochte
Robert H. Lochte, Associate Professor
Department of Journalism and Mass Communications
Murray State University Murray KY 42071
Phone 502 762 4663 FAX 502 762 6335
E-mail bob.lochte@murraystate.EDU

Rodrigo Moura manteve contacto então com o professor Bob Lochte que então lhe enviou os documentos relativos a este fato que não vi registrado nas biografias de Landell e que por agora ter os documentos em mãos, gentilmente enviados por Rodrigo publico-os com sua autorização verbal.
 

Rodrigo Moura

*Rodrigo Moura, jovem de apenas 20 anos  recentemente ganhou um prémio de uma emissora de Televisão (Uma viagem para Portugal), por um trabalho feito sobre o padre Bartolomeu de Gusmão. Na foto acima Rodrigo Moura ao lado de sua musa inspiradora Joana, sua inesquecível portuguesa, a qual teve oportunidade de conhecer durante sua viagem a Portugal
em abril de 2000, país que o autor desta página teve o prazer de conhecer em Outubro/2000.
 
 
 
 
 
 


 
Retornar à página principal