Make your own free website on Tripod.com
AS IDÉIAS DE LANDELL DE MOURA SOBRE A
TRANSMISSÃO DO PENSAMENTO
E A VISÃO À DISTÂNCIA

 
 

ROBERTO LANDELL DE MOURA

Luiz da Silva Netto

Quando eu ainda era graduando de matemática, um dia o diretório acadêmico de nossa faculdade convidou o Dr. Mário Schenberg para dar uma palestra. Falando sobre o caminho da ciência e da condução do pensamento dos cientistas em suas pesquisas o eminente físico-matemático-artista-pensador disse algo a respeito de qual direção um cientista deveria tomar quando fosse pesquisar algum fenômeno, quais caminhos poderiam conduzi-lo a uma descoberta.

Lembrou-nos então esse grande mestre , um homem conhecedor de artes, até hoje lembrado, festejado, e muito querido dos artistas, que a natureza, ela própria nos indica o caminho. Explicou-nos Mário Schenberg que os modelos na natureza tem às vezes muita similaridade entre si e muitas vezes fenômenos físicos diferentes têm até a mesma expressão matemática que os traduz, as vezes diferindo apenas pela introdução de uma constante na fórmula.

Como exemplo temos uma expressão matemática que traduz 3 fenômenos físicos diferentes. Senão vejamos:



 
 
 
 

1)A expressão matemática que traduz o fenômeno da atração gravitacional entre dois corpos, lei descoberta por Isaac Newton, (Que nos legou também uma obra prima de seu intelecto: O cálculo diferencial e integral.)

F= G * ( m1.m2 ) /r2

onde F = força de atração entre dois corpos de massas m1 e m2

r2 (distancia entre as massas ao quadrado)

G=Constante de atração gravitacional.


2)A expressão matemática que traduz a força de atração ou repulsão entre duas cargas elétricas de nomes contrários ou de nomes iguais respectivamente:
 

 
Cargas q1 e q2 (+,-),(+,+) separadas  pela distância d

(Lei de Coulomb)

F = (q1.q2) /d2, onde F= Força entre os corpos, q1 = carga elétrica da carga 1 e q2 carga elétrica da carga 2 e d2= distância entre as cargas ao quadrado.



3)O mesmo modelo se repete para expressar a atração ou repulsão entre duas massas magnéticas.
 
 


O sistema físico massa-mola e um circuito eletrônico contendo uma bobina (Indutância) e um Capacitor (capacitância) tem a mesma equação diferencial que os traduz.

 

Sistema massa-mola e os  equivalentes  RLC
 
a) Sistema  Mola, massa e  amortecimento; b) circuito equivalente,  c) circuito dual do  circuito equivalente



Vemos portanto similaridade entre os modelos.
 
A TELEPATIA

Hoje sabemos que se comprova o fenômeno da Telepatia através  de  experimentos controlados cujos resultados são  tratados pelo cálculo  de probabilidades  de modo a mostrar que os resultados obtidos não foram aleatórios, mas que houve uma  força ou causa prédeterminada. Mas... qual seria o mecanismo pelo qual ela se dá? Que modelo conhecido nos daria uma pista por onde caminhar e que possivelmente nos conduziria à descoberta desse segredo?

Sempre dei tratos à bola pensando neste assunto e lembrando o que disse o prof. Schenberg, imaginei que este fenômeno deve ser algo parecido com o fenômeno da sintonia que ocorre quando um receptor de rádio ou televisão capta esta ou aquela emissora de rádio ou televisão.
 
 

DETETOR DE ONDAS DE RÁDIO
 
 
Transmissão e detecção de Som e Imagem

Basicamente o que é que acontece? O que temos em uma emissora de rádio e em um receptor de rádio que faz com que seja possível detectar o sinal contendo a informação? Simplesmente é gerado um sinal de uma determinada freqüência, na estação emissora, esse sinal sofre variações de acordo com o sinal de voz ou musica que se quer transmitir, captado por um microfone.
 

Esse sinal elétrico que após convenientemente amplificado é conduzido até a antena que irradia então um campo eletromagnético portando as informações. Estes sinais caminham pelo espaço à velocidade de 300 mil quilômetros por segundo e na outra ponta o aparelho detetor de rádio SINTONIZA, a mesma freqüência da emissora e extrai a informação contida na onda portadora.
 

Sintonia de uma estação e a detecção do sinal de áudio

 
 

Receptor Superheteródino

 
Essa sintonia implica em receber somente o sinal da emissora desejada e descartar todos os demais sinais de outras emissoras presentes também na antena.O circuito de sintonia seleciona qual a freqüência quer receber.

 

                                                            TRANSMISSÃO DO PENSAMENTO

Eu intuo que algo parecido deve ocorrer com a transmissão do pensamento.

Imagino que quando pensamos há um fluxo constante de sinais elétricos transitando em nosso cérebro que devem traduzir esses pensamentos. Ora, sabemos que uma corrente elétrica transitando em um fio cria campos eletromagnéticos que se propagam no espaço. 

Se alguém estiver RESSONANTE com esses pensamentos, poderá detetá-los, pois quando pensamos e produzimos essas diminutas correntes elétricas que circulam por nossos neurônios ainda que sejam sinais de amplitudes muito pequena eles devem se propagar pelo espaço e imagino que o receptor deve possuir uma sensibilidade tal que apenas alguns microvolts devem ser o suficiente para sensibilizar o detetor. O limiar dessa detecção deve ser um valor muito pequeno.

(No caso da audição a potência sonora  que é necessária para o ouvido perceber uma perturbação sonora é da ordem de 0,0000000000000001 W/cm2, ou 10 elevado à décima sexta potência negativa/watts/centímetro quadrado,à frequencia de 1khz, Zero decibel). Por aí vemos como o ouvido é sensível e auto-protegido contra a sua destruição já que a sua resposta à um estimulo acústico não é linear mas sim ao logarítimo do estímulo, habilitando-o a ouvir um farfalhar de folhas caindo ao solo, e também suportar o estouro de uma bomba.

Minha intuição à esse respeito do modelo apresentado é reforçada quando verificamos muitas histórias de descobertas no passando quando as pesquisas eram feitas por cientistas isoladamente e muitos chegaram às mesmas descobertas quase que simultaneamente e estando as vezes separados por milhares de quilômetros, sendo que muitas vezes um não sabia o que o outro estava pesquisando.

Coincidência...? Me parece que não. Provavelmente pensando a mesma coisa eles entravam em RESSONÂNCIA, similarmente o que acontece quando afinamos as cordas de um violão, ou seja quando tocamos uma corda e estando a outra afinada na mesma freqüência a energia daquela que é tocada é transmitida mecanicamente, fazendo a outra entrar em ressonância e emitir a mesma nota, sem que tenha sido tocada.

Temos aí um transmissor e um receptor afinados, sintonizados à mesma freqüencia. No receptor de rádio faz-se a sintonia de uma dada freqüência quando o circuito de recepção entra em ressonância (oscila na mesma freqüência).

Para citar mais um contundente exemplo de construção de um engenho humano, que encontra uma construção biológica similar baseada nos mesmos princípios físicos é só lembrarmos como é construída uma câmera de televisão em cores, que tem o seu similar no olho humano.
 
 

CÂMERA  DE  TELEVISÃO

Todas as cores percebidas através de uma câmara em cores são detectadas através dos milhares de elementos pontuais de fósforo de cores VERMELHO, VERDE e AZUL. Qualquer cor pontual pode ser decomposta em um certo valor (R) Vermelho mais um outro valor (G) de Verde e mais um outro valor (B) de Azul. É uma adição de luzes. O brilho dessas cores é a luminância que é tratada pelo amplificador de vídeo.
 

 
 
ÔLHO HUMANO

Como se passa esse processo no olho humano? No interior do olho, na retina temos dois tipos de fotoreceptores: Os Cones e os Bastonetes. Existem 3 tipos de cones. Um tipo responde à cor vermelha, o segundo tipo responde a cor Verde e o terceiro tipo responde à cor azul . De modo que o olho faz a integração dessas componentes (R)(G)(B) para cada cor do espectro que está vendo. Os Bastonestes que são em maior número respondem sómente ao brilho das cores, que corresponde na câmara de tv ao sinal de luminância.
 

                                      
              Olho Humano - Veja a camada de  
                     CONES    e     BASTONETES  
                           "conos y bastoncillos" 
                                 Curvas de Luz Absorvida pelos Cones 
                                           R=Vermelho, G=Verde, B=Azul 
 
 
A luminosidade percebida pelos bastonetes
Esquema da  Retina com os  grupos  de cones  e bastonetes  que se unem  com as  terminações do nervo ótico (H.Autrun,Ciencias Naturales y Medicina) 
 
 
A luz Branca obtida à partir da adição das cores VERMELHO,VERDE  e AZUL

Portanto este exemplo que coteja o funcionamento de  uma  câmara  de televisão versus funcionamento do ôlho humano, mostra que não é nada fora de propósito esperar que seja possível também encontrar um equivalente biológico detetor dos pensamentos como no presente caso encontramos para a câmera de televisão o  correspondente detector biológico que é  a visão humana.Vemos que  tudo é  uma questão de sintonia.
 

                                           "ANTENAS" SINTONIZADAS E NÃO SINTONIZADAS
 

Ocorre-me a idéia que se um transmissor "A" está pensando digamos na solução de um problema de Matemática, a forma de onda correspondente a esse pensamento ao ser emitida e encontrando um receptor "B", ressonante com estes assuntos, esta informação poderá ficar "guardada"em um "buffer" no receptor "B" e quando este receptor "B" estiver pensando sobre este assunto, aquilo que ficou "guardado" poderá aflorar em seu pensamento como uma informação "nova" que o receptor "B" poderá entender como uma "intuição".

Se o transmissor "A" e o receptor "B" estiverem a pensar simultâneamente nos mesmos assuntos então "B" poderá entrar em "ressonância" e ao receber a "nova" informação a incorporará como novo elemento de raciocinio. Se as formas de ondas emitidas não encontrarem "ressoadores" elas agirão como se passassem por
antenas "não sintonizadas".

Com estas postulações é imediata a idéia da "transcepção" que deve ocorrer entre duas fontes.
 

O QUE PENSAVA  ROBERTOLANDELL DE MOURA À  RESPEITO:
Pois estudando as teorias do pesquisador brasileiro, que ainda infelizmente não é conhecido de grande parte dos brasileiros e o que é imperdoável até nos meios acadêmicos, e que em 1893/4 inventou aparelhos para transmitir a voz humana sem auxilio de fios, utilizando ondas curtas e a LUZ, o sacerdote-cientista ROBERTO LANDELL DE MOURA, verifiquei  que êle já intuía esses pensamentos, onde incluía além dos fenômenos de telepatia, os de visão à distância, como  fenômenos que se propagariam ondulatóriamente.(página 142 do livro de Ernani Fornari "O Incrível Padre Landell de Moura" Biblioteca do Exército Editora. Se estas idéias soam 
como ousadas nos tempos de hoje, imaginem na época na qual foram emitidas e levando-se em consideração que além de cientista era também um religioso e que estudos de parapsicologia só agora são aceitos tranqüilamente 
pela igreja. 
 
 

Enfim, não sabemos ainda os detalhes de como isso ocorre mas parece que temos a indicação de um bom caminho de pesquisa para seguir. Um dia, como soe acontecer com todas as coisas... nós os humanos saberemos isso detalhadamente. Por enquanto ousemos exercitar a nossa faculdade de imaginação, de intuição...utilizando os conhecimentos que nossos predecessores nos legaram. Urge que os parapsicólogos o descubram e estudem suas teorias.

Retornar à página principal