Make your own free website on Tripod.com
FONTE: - REVISTA ANTENNA - JAN/FEV/1969 - ESCRITO DO ENGENHEIRO ELETRÔNICO-ELETRICISTA NICOLAS DACHIN.
Luiz Netto
O RADIO É UMA INVENÇÃO PRODUTO DO TRABALHO DE UM HOMEM SÓ?
Atenção: Se você quer realmente conhecer esta história tenha paciência para
esperar que toda a parte gráfica seja carregada.
 
 
 
 
 

Por questão de economia de espaço, mostramos a parte inicial da matéria escaneada da Revista Antenna e a sequência transcrita de seu conteúdo. Aqui o engenheiro Nicolas Dachin nos conduz a refletir sobre o fato de que o rádio não foi fruto do trabalho de um homem só, mas de muitos dedicados homens de ciência. Justiça se faça a todos que a merecem...e não a um só homem...

Todos povos escrevem sobre suas figuras históricas de grande expressão com muito orgulho, não deixam cair no esquecimento as datas comemorativas de seus feitos, aqui fazemos o mesmo com o nosso sacerdote-cientista ROBERTO LANDELL DE MOURA, e apenas reivindicamos o lugar que lhe cabe na história das telecomunicações e aqui é mostrado o que alguns dos cientistas preocupados com o desenvolvimento das comunicações fizeram.

Se estivessesmos preocupados com quem fez o que e em que datas os registros são claros: Em 06 de junho de 1900 Landell de Moura fez uma transmissão da palavra humana articulada com a presença da imprensa registrando o fato e a presença de autoridades na época incluindo o consul britânico em São Paulo, P.C.Lupton, isto para dizer o mínimo já que são feitas referências às datas de 1893, época em que isto já foi conseguido, já com fonia, mas que alguns questionam. Recordemos que é consignado à Marconi em 1895 sómente a telegrafia utilizando o Código Morse e não fonia.

A seguir o registro da segunda transmissão da palavra humana deu-se em 25 de Dezembro de 1900, feito consignado ao Canadense-norte-americano Reginald Aubrey Fessenden. Tem-se inclusive a gravação de suas palavras.

A Suprema Corte dos Estados Unidos não deu ganho de causa ao processo "MARCONI WIRELESS TELEGRAPH COMPANY OF AMERICA v. UNITED STATES" -  OCTOBER 1942.

Isto mostra que apesar de em geral na história do rádio um nome só ser lembrado, aqui os norte-americanos quando a questão envolvia consequências econômicas não fizeram coro nessa concordância.

Eis aqui a sómente primeira página do processo que a "MARCONI WIRELESS TELEGRAPH COMPANY OF AMERICA" moveu contra os Estados Unidos pleiteando o reconhecimento da invenção e que não teve ganho de causa. Por economia de espaço mostramos sómente a primeira página, pois o documento é muito longo.
 

 

Bom, depois deste breve intróito vejamos a matéria que foi publicada na REVISTA ANTENNA N.39 DE
JAN/FEV - 1969, escrito do Eng.Eletrônico-eletricista NICOLAS DACHIN.
O texto foi mantido na íntegra e algumas fotos foram acrescentadas.
 
 

 
 
O JORNAL NEW YORK HERALD DE 12 OUTUBRO 1902 NOTICIA OS INVENTOS DE LANDELL
Falando a milhas de distância por meio de um raio de luz
Para obtermos um retrato do genial pesquisador e inventor brasileiro precisamos procurar as páginas de um
jornal norte-americano, o "New York Herald" de 12 de Outubro de 1902. Parece uma triste Piada!

Na oportunidade em que se encontra em execução o mais completo e atualizado Plano de Telecomunicações de âmbito nacional, destinado a ser um dos principais pilares, a condição básica a infraestrutura do desenvolvimento e progresso do país, seria lógico e oportuno voltar nossas vistas ao passado, às origens das telecomunicações em geral e principalmente ao que foi feito no Brasil neste importante setor.

Falta esclarecer importantíssimos fatos históricos relacionados com as origens das telecomunicaçoes, com a telegrafia e telefonia sem fios em particular, bem como com a ciência eletrônica em geral. Como se sabe, a história só poder ser escrita pelo menos cinqüenta anos após os acontecimentos. Assim, já estamos no tempo justo para colocar as coisas em seu devido lugar.

Quem foi o inventor das radiocomunicações?
Eis uma pergunta um tanto simplista, além de ingênua. Da mesma maneira pode-se perguntar: quem foi o inventor das telecomunicações? Ou ainda: quem foi o inventor da eletricidade?

Alguém arriscaria mencionar um nome como sendo "o inventor", "o pai"  da eletricidade? Com certeza ninguém se atreveria a tanto, pois para todos está mais do que claro o fato de que tanto na eletricidade como nas telecomunicações, seja a curta ou a longa distância, com ou sem fio, poder-se-ia citar dezenas ou mesmo centenas de nomes de respeitáveis  cientistas, físicos, pesquisadores e descobridores que de uma ou de outra maneira contribuiram, cada um em seu setor, para a evolução dos nossos conhecimentos.

Os trabalhos de cada um deles estão intimamente ligados aos trabalhos de seus antecessores e não podem ser considerados isoladamente.

No que diz respeito ao descobrimento das radiocomunicações, ainda persiste uma lamentável confusão generalizada, devido ao fato que muitas publicações relacionadas com o assunto e até a maioria dos dicionários existentes, de cuja idoneidade ninguém ousaria duvidar, dão uma resposta categórica, porém sem justificativas válidas nem bem fundamentadas.

No caso das telecomunicações, existe um evidente exagero ao se mencionar o nome de Guglielmo Marconi como o inventor, "o pai" do rádio. Tal afirmação levanta uma onda de protestos e reclamações sôbre a prioridade em muitos países inclusive no Brasil.
Poucos brasileiros têm conhecimento dos trabalhos do Padre Roberto Landell de Moura,o primeiro radioamador do mundo, (Eletrônica Popular, nov/dez 1967) e um dos indiscutíveis pioneiros das telecomunicações, não só no Brasil, mas no mundo inteiro, como prova o escritor Ernani Fornari no seu livro "O incrível Padre Landell de Moura",
da Editôra Globo, 1960, e que cita a seguinte publicação do "Jornal do Comércio" de
São Paulo, datada de 10 de junho de 1900:

"No domingo próximo passado, no Alto de Sant'ana, cidade de São Paulo, o padre Roberto Landell de Moura fêz uma experiência particular com vários aparelhos de sua invenção, no intuito de demonstrar algumas leis por êle descobertas no estudo da propagação do som, da luz e da eletricidade através do espaço, da terra e do elemento aquoso, as quais foram coroadas de brilhante êxito. Estes aparelhos eminentemente práticos são como tantos corolários, deduzidos das leis supracitadas.
Assistiram a esta prova, entre outras pessoas, o Sr. P.C.P.Lupton, representante do Governo Britânico, e sua família".
 

Transmissor e Receptor da Voz Humana via onda portadora de Luz

Sôbre um de seus aparelhos, o "Anematófono", a nosso ver o mais engenhoso e o mais interessante, o próprio padre escreveu o seguinte:

"O anematófono é um aparelho com o qual, sem fio, obtêm-se os efeitos da telefonia comum, porém com muito mais nitidez e segurança, visto funcionar ainda mesmo com vento e mau tempo. É admirável êste aparelho pelas leis inteiramente novas que revela, como, outrossim, o que se segue: O teletiton, sorte de telegrafia fonética com o qual, sem fio, duas pessoas podem se comunicar, sem que sejam ouvidas por outra. Creio que com êste meu sistema poder-se-á transmitir, a grandes distâncias e com muita economia, a energia elétrica, sem que seja preciso usar-se de fio ou cabo condutor."

Patente Brasileira n.3279 ano 1900, para um aparelho apropriado a transmissão da palavra à distância, com ou sem fios, através do espaço, de terra e da água. De autoria Roberto Landell de Moura. O padre Landell de Moura construía e demonstrava seus engenhosos aparelhos de comunicações, tanto telegráficos como telefônicos, justamente na época em que o telefone com fio era a grande novidade em aplicação nos grandes centros europeus e americanos. O telégrafo ja era bastante usado e conhecido, porém o "telégrafo sem fio", era uma novidade total mesmo nos meios científicos europeus ou americanos. O "telefone sem fio" usando como onda portadora um raio de luz ou outra vibração eletromagnética, era uma idéia totalmente original e cuja prioridade pertence indiscutívelmente ao brasileiro Landell de Moura.
 
 

Detetor fotônico das ondas de luz transportando audio

Hoje examinando os esquemas, circuitos e descrições dos aparelhos do incrível padre Landell, surpreende a sua engenhosidade ou mesmo a sua genialidade, absoluta segurança de julgamentos sôbre as próximas e futuras possibilidades das comunicações por ondas eletromagnéticas. Em seus aparelhos, o padre Landell fêz uma mistura e combinação de todos os principios de comunicações já conhecidos e ainda desconhecidos, não só pelos especialistas, mas mesmo pelos próprios cientistas da época.
 

Detetor e transmissor de Telegrafia
O detetor usava o sistema coesor-descoesor para deteção dos sinais
Landell introduziu um notável dispositivo reforçador acústico de sinais
cujo funcionamento está descrito na parte - Artigos Técnicos

Nestes aparelhos aparecem:
a. as principais peças de telefonia por condutores como microfone a carvão, fone (receptor magnético), bobina de indução, campainha de chamada, registrador telegráfico a fita, manipulador telegráfico, oscilador acústico para telegrafia sonora ou para chamada, etc.

b. as principais peças do telégrafo sem fios por ondas eletromagnéticas amortecidas como: um circuito oscilador formado por bobinas de Ruhmkorff com capacitor e centelhador, ligados de um lado à terra e d'outro a um irradiador.

c. um oscilador de ondas eletromagnéticas amortecidas para alimentar um tubo de Crookes como fonte de raios catódicos e ultravioletas localizada no foco de um refletor parabólico.

d. um arco voltaico com filtro de quartzo para a produção de raios ultravioletas e sua canalização ou orientação para um determinado ponto por intermédio de um refletor parabólico. O sistema de modulação destes raios era feito por um dispositivo acústico.

e. na recepção das oscilações eletromagnéticas foi usado um "coesor" de Branly e na recepção das oscilações acústicas uma célula de selênio em vácuo, em série com um fone ou receptor magnético e uma bateria.

f. um telescópio, uma bússola e um nível para a devida orientação e focalização do aparelho.

É toda uma "pirâmide", um acúmulo de dispositivos de destinos mais variados, harmoniosamente combinados entre si com a finalidade de permitir comunicações telegráficas-telefônicas sem fios. Os trabalhos do padre merecem ser estudados com toda a atenção e seriedade. Os aparelhos deveriam ser reconstruídos, experimentados, comentados e posteriormente expostos num museu de telecomunicações. Suas originais idéias ainda não foram examinadas e estudadas a fundo e deveriam ser objeto de pesquisas num laboratório de física, visando aplicações práticas no campo das telecomunicações.
 

 
Transmissor de Ondas

O mesmo Transmissor de Ondas em outra representação

Para melhor perceber e compreender o significado e o valor dos trabalhos do padre Landell de Moura, que inventava e construía seus aparelhos entre os anos de 1890-1905, citaremos algumas datas conhecidas e encontradas nas fontes de maior confiança, de fatos que deviam ser e certamente eram do conhecimento do padre.

Ano 1873 - JAMES CLERK MAXWELL, professor de física na Universidade de Cambridge, baseado em raciocinio matemático anuncia uma teoria provando que a LUZ e o CALOR são formas de vibrações eletromagnéticas, diferençando-se tão sómente pela longitude de onda e prevendo e a existência de vibrações análogas, porém de maior longitude de onda e ainda não descobertas. Maxwell deu as principais características das vibrações eletromagnéticas e também a sua expressão matemática, válida até hoje e conhecida como "equações de Maxwell".
 

James Clerk Maxwell - 1831-1879

Ano de 1885 - HEINRICH RUDOLPH HERTZ, físico alemão, mostrou práticamente a existência de energia prevista por Maxwell em forma de ondas eletromagnéticas. Estas ondas passaram a ser chamadas "ondas hertzianas". Hertz usou como gerador das oscilações eletromagnéticas uma bobina de Ruhmkorff e como receptor um anel com duas bobinas separadas em 1/5 mm entre si, confirmando experimentalmente, as previsões de Maxwell sôbre onidiretividade da propação das ondas, suas propriedades de reflexão, refração e polarização. Por meio de dispositivos engenhosos, Hertz determinou a velocidade de propagação e a longitude das ondas eletromagnéticas geradas por seu aparelho.
 
 

HEINRICH RUDOLPH HERTZ - 1857-1894
 
A velocidade de propagação encontrada por Hertz foi de 300.000 km/s e a longitude de onda de 0,5 a 3 metros. Seus aparelhos representam em forma embrionária um transmissor e um receptor de oscilações eletromagnéticas.

Ano 1890 - EDUARDO BRANLY , físico e acadêmico francês, idealisou o "COESOR", o primeiro detector de oscilações eletromagnéticas , de sensibilidade suficiente para possibilitar a construção dos primeiros receptores de rádio de aplicação prática.
 

EDOUARD EUGÈNE DESIRÉ BRANLY
 
 
COESOR-DESCOESOR DE BRANLY
 
 

 
 
 
 
 

COESOR-DESCOESOR DE BRANLY

Ano 1892 - Sir WILLIAN CROOKES ,físico inglês, construiu o tubo de raios catódicos de dois eletrodos e previu, na revista "Fortnightly Review", a possibilidade de emprêgo das ondas eletromagnéticas para transmissão de sinais.
 

Sir Willian Crookes
 
 
                                                                              Tubo de Crookes
 

Ano 1893 - NICOLAS TESLA, físico iugoslavo, pronunciou uma conferência em Londres sôbre a possibilidade de construir geradores rotativos de corrente de alta freqüência de grande potência, para transmissores de radiotelegrafia.
 

Nicolas Tesla
 
 
 
 

Ano 1894 - Sir OLIVER LODGE,físico inglês analisou na revista "The Eletrician", os vibradores de ondas hertzianas e suas características de amortecimento; descreveu suas próprias experiências e dispositivos usados para transmitir e receber sinais a várias dezenas de metros de distância.
 

Sir Oliver Lodge  - 1851- 1940

Ano 1895 - ALEXANDRE POPOFF, físico russo, realisou as primeiras demonstrações públicas com seu transmissor e receptor, aplicando o "coesor" de Branly. No ano seguinte,numa conferência pública, recebeu o primeiro radiograma transmitido por seu assistente que se encontrava num outro prédio da Universidade de St. Petersburgo. O telegrama constava de duas palavras: "Heinrich Hertz".
 
 

POPOFF
 
 
 
 

No mesmo ano, na Itália, o jovem Guglielmo Marconi, de 21 anos de idade, discípulo do professor de física AUGUSTO RIGHI, que se destacou e ficou conhecido no mundo científico por suas experiências com as ondas hertzianas, aperfeiçoando ainda os aparelhos usados por Hertz - pesquisava. Marconi e Righi também chegaram a aplicar em suas experiências o "coesor" de Branly e os aparelhos semelhantes usados pelo professor POPOFF.
 

Guglielmo Marconi

Ano 1896 - GUGLIELMO MARCONI, chegou a Londres onde requereu uma patente do transmissor e receptor de radiocomunicações, recebendo-a. No ano seguinte seguiu, seguiu para Nova York onde repetiu com êxito a mesma manobra. Ainda em Londres foi fundada com sua ativa participação a Companhia Marconi, com o fim de explorar comercialmente, as patentes do "inventor". A referida companhia, sendo uma organização exclusivamente comercial, fundada com fins lucrativos, possibilitou um rápido aproveitamento do nôvo sistema de comunicações, popularizando e divulgando o interêsse pelas radiocomunicações em geral. Neste sentido não podem, sem dúvida alguma, ser negados grandes méritos a Guglielmo Marconi pelo seu pioneirismo e sua inteligência no aproveitamento das possibilidades.

É uma verdade bem conhecida que os cientistas, os professores universitários são refratários no que diz respeito ao patenteamento de seus descobrimentos, por não se considerarem com direitos de exclusividade, de um lado, e d'outro por desejarem justamente o contrário: a maior divulgação e promoção de seus trabalhos e descobrimentos. Neste nível se colocaram os cientistas como HERTZ, BRANLY, RIGHI, LODGE E POPOFF. Todos eles consideravam seus trabalhos e descobrimentos como um patrimônio da ciência e da humanidade e não como uma propriedade particular.

Infelizmente o nome do padre brasileiro ROBERTO LANDELL DE MOURA, não figura entre os nomes conhecidos que contribuíram de uma ou de outra maneira para o desenvolvimento das telecomunicações. Porém, nunca é tarde corrigir o que foi esquecido:
é preciso dar ao padre Landell de Moura o lugar que lhe é devido no campo da pesquisa científica.*

*Obs. Com o advento da internet este panorama está mudando. Veja aqui uma página
europeia de Andres Salillas, jornalista espanhol, que tem livro escrito sobre os pioneiros do rádio e que os homenageia em sua página e lá já está incluido o nome de Landell de Moura: "EL NACIMIENTO DE LA RADIO - Algunos de los que han contribuido para hacerlo realidad":

http://www.weblandia.com/cerdanyola/pioneros.htm
Aqui está o texto sobre Landell de Moura em sua página.

LANDELL DE MOURA, ROBERTO (Porto Alegre 1861 - 1928),

    El sacerdote cientista ROBERTO LANDELL DE MOURA, de Brasil, nació el 21 de enero de 1861 en la ciudad de Porto Alegre y murió el 30 de junio de 1928 en la misma ciudad. Fué ordenado sacerdote en 1886. Hizo parte de sus estudios (la física y quimica en conjunto) con las disciplinas teológicas. En este ambiente desarrolló sus primeras ideas sobre "Unidades de fuerzas físicas y armonía del Universo". Se interesó por ciencias físicas, quimicas, biologicas, filosofia, psicologia, parapsicologia y medicina. Era dotado de un profundo Sentimiento Teológico y para el no habia incompatibilidad entre Ciencia y Religión.
    Construyó e hizo funcionar en 1893 con exito, un aparato multifunciones que integraba transmisión y recepción de señales vocales y luminosos incluyendo un sistema para llamar la atención del operador utilizando ondas electromagneticas. Hizo la primera transmisión que se tiene noticia en la historia del radio en 1893, de la palabra, cargada por una onda portadora de LUZ, donde utilizó el elemento Selenio para detección de la señal de sonido. Obtuvo patentes del gobierno de los EE.UU, en Nueva York - Manhattan -, tras el Patent Office de los seguientes aparatos:
      Wave Transmitter - Patent Number 771.917 - Oct/11/1904
      Wireless Telephone - Patent Number 775.337-Nov/11/1904
      Wireless Telegraph - Patent Number 775.846 - Nov/22/1904
 
Ouça a gravação da mensagem transmitida por Fessenden a seu assistente, feita no dia 25/12/1900,6 meses após Landell ter feito sua transmissão em público em São Paulo: 
(160kbytes em .mp3) -  Diz a mensagem:"Hello! test, one, two, three, four. If it's snowing where you  are, Mr. Thiessen, If it is telegraph back and let me know". 
"Alo!, um, dois, tres, quatro. Se estiver nevando onde o Sr. está, Sr. Thiessen, se estiver, telegrafe-me 
e deixe-me sabê-lo."

 

PARECER DO VICE-ALMIRANTE MÁRIO DE OLIVEIRA PENNA, ENGENHEIRO NAVAL E MECÂNICO ELETRICISTA:

O reverendo Padre Roberto Landell de Moura, nascido na cidade de Pôrto Alegre aos 21 de janeiro de 1861, requereu e obteve três patentes de invenção nos Estados Unidos da América, a saber:
a.  transmissor de ondas
b.   telefonia sem fio
c.   telegrafia sem fio

O histórico de suas atividades constantes do processo, perfeitamente documentado e justificado, assim como a análise técnica de suas invenções comparativamente ao que era conhecido na época, e ao que foi gradativamente, integrando-se na ciência, em sua evolução até a industrialização da Telegrafia e Telefonia sem fio, provam, de modo a não deixar dúvidas, ter conseguido aquêle eminente brasileiro conceber, realizar e provar, os princípos fundamentais da exequibilidade da transmissão, principios esses que, em essência, constituem a base de tôdas as conquistas e aperfeiçoamentos técnico-elétricos modernos nas comunicações sem fio.

Não se pode deixar de reconhecer que o imortal Branly fêz experiências de centelhas em circuito fechado em 1885 na Universidade Católica de Paris. Marconi, aproveitando-se dessas experiências e dos princípos fundamentais que Branly sábiamente anunciou, correu a patentear um sistema por êle organizado de transmissão e recepção sem fio. Nem por isso deixa-se de proclamar a genialidade das concepções de Branly, sem as quais Marconi não teria obtido a patente 12.039, de 12 de setembro de 1896, na Inglaterra. O rev. padre Landell de Moura, embora sem a prioridade científico-oficial, por isso que só mais tarde conseguiu suas patentes nos Estados Unidos da América, já em 1893 realizava as primeiras experiências de transmissão e recepção sem fio em São Paulo.

Na narrativa dos episódios que prejudicaram suas primeiras tentativas, o prosseguimento de seus estudos e o registro, em tempo, de seus aparelhos experimentais, mostra evidentemente, que sómente devido à razões imperiosas e superiores deixou êle de se incluir, na época, entre os pioneiros de tão relevante conquista.

Estudando agora, do ponto-de-vista estritamente técnico, é forçoso reconhecer - porque se demonstra de modo inequívoco - que suas três Patentes contêm, de fato, tôdas as peças essenciais de um sistema que se foi aperfeiçoando até constituir o núcleo científico básico que permitiu a industrialização das transmissões e das recepções sem fio".... e finalizando:

...."Há, pois, nas três Patentes do patrício ilustre, idéias, concepções, princípios e engenhosidade na formação de circuitos elétricos, que caracterizam, de forma incontestável, os mesmos métodos e processos que foram aplicados mais tarde, com a natural evolução no meio industrial, com os aperfeiçoamentos da técnica elétrica e dos meios materiais de execução.

Assim, estou convencido de que de justiça e de direito, cabe ao Padre Landell de Moura a glória imortal de ter idealizado o mais perfeito sistema de telefonia e telegrafia sem fio na época em que fêz suas primeiras demonstrações, e que não foram outros os princípios aplicados, senão os constantes de suas patentes, na fase inicial da industrialização dos transmissores e receptores de telegrafia sem fio.(T.S.F.)".

Retornar à página principal